splash
Bem Vindo

Ao portal de informações sobre Honestino Guimarães.
Idealizado por Luiz Carlos Monteiro Guimarães.
Responsáveis: Betty Almeida e Katia Aguiar.
Agradecimentos a: Maria Rosa Leite Monteiro (em memória)
Norton Monteiro Guimarães (em memória)
Sebastião Lopes Neto
Ivonette Santiago de Almeida
Salvador Coaracy
 

Principal

HONESTINO GUIMARÃES

Daniel Faria

Triste o país que precisa de heróis” (Bertolt Brecht)

Honestino Guimarães é um dos símbolos recentes na história política brasileira. (…) Mas o passado de que Honestino faz parte não é o passado adormecido dos relógios e das enciclopédias; é um passado que sentimos em nossa carne, um passado que nos inquieta, um passado presente. Honestino caçado, Honestino desaparecido. Mas também Honestino solidário, lutador, idealista.

Por isso sua figura nos assombra, um líder estudantil cujas únicas armas eram as palavras, no discurso, nas pichações. Mais um líder assassinado. Por que ele não fugiu? Por que a ditadura foi tão cruel com um estudante comum?

(…) Honestino foi um exemplo de persistência, de amor ao Brasil e de amor à liberdade. A ditadura queria matar o exemplo, mas ainda hoje o nome de Honestino é símbolo de luta e resistência – não uma mensagem de morte e derrota, mas de vida e coragem. Não pensemos em Honestino como quem pensa em um mártir ou herói. Pensemos em um estudante apaixonado, movido por causas que ainda nos comovem: justiça social, paz e liberdade. Honestino, vivo por seu exemplo de amor à vida, é a prova de que estas palavras não são vazias. Se hoje a moda é a descrença, o imediatismo, (…) a vida grita mais alto, a utopia grita mais alto. Por isso Honestino assombra, inquieta – e convida.

Honestino é presente, não apenas porque seu nome está escrito em paredes e papéis, mas porque sua luta nos convida à luta, porque seu sonho nos convida ao sonho. Honestino não é um herói – só os tiranos precisam de heróis. Honestino, jovem brasileiro e nada mais. Viveu, sonhou, lutou, sonhos e lutas ainda vivos. Honestino plantando ventanias: ânsia de tempestades.

Página: 1 2