if (class_exists('CSSDropDownMenu')) { $myMenu = new CSSDropDownMenu(); /* Extra options here, like so: $myMenu->orientation="top"; */ $myMenu->show(); } ?>
splash
Bem Vindo

Ao portal de informações sobre Honestino Guimarães.
Idealizado por Luiz Carlos Monteiro Guimarães.
Responsáveis: Betty Almeida e Katia Aguiar.
Agradecimentos a: Maria Rosa Leite Monteiro (em memória)
Norton Monteiro Guimarães (em memória)
Sebastião Lopes Neto
Ivonette Santiago de Almeida
Salvador Coaracy
 

Maria Rosa

Maria Rosa Leite Monteiro, caçula de 11 irmãos, foi criada no calor da fraternidade e solidariedade familiar, que formaram seu caráter íntegro e personalidade forte. Casou-se em 1946 com Benedito Monteiro Guimarães e seus filhos foram Honestino, Luiz Carlos, Norton e Mary. Desde a prisão do filho mais velho, Maria Rosa o procurou, incansavelmente, sem jamais receber de autoridades civis ou militares qualquer resposta sobre o paradeiro de Honestino. Sua coragem e determinação nunca esmoreceram, mas as perdas e a passagem do tempo foram minando a energia física desta guerreira, que escreveu dois livros sobre suas experiências como mãe e cidadã em busca do filho desaparecido. No apartamento de Águas Claras, em Brasília, recebia os cuidados e visitas frequentes do filho Norton, que faleceu em um acidente de moto, em 2008. O outro filho, Luiz Carlos, levou-a, por duas vezes para visitar o país onde mora com sua família e depois passou a visitá-la periodicamente, para poupar-lhe o esforço das viagens internacionais. A neta Juliana veio visitá-la, trazendo consigo o marido e o filho e mais tarde mandou buscá-la para passar temporadas em sua casa. Maria Rosa recebia as visitas de netos, sobrinhos e amigos e era cuidada com desvelo por Janaína Medeiros e Valdirene Pires (Tuquinha), sob a supervisão atenta e carinhosa da sobrinha Clícia Leite Antão, mas depois de uma cirurgia para reparar uma fratura do fêmur, faleceu, em 20 de setembro de 2013, ainda com o coração cheio de perguntas nunca respondidas. No primeiro aniversário de sua morte ocorreu, em Brasília, a 73a Caravana da Anistia, em que Honestino recebeu anistia post-mortem e o pedido de desculpas do Estado brasileiro pela perseguição que sofreu e pela violência que o atingiu. Luiz Carlos Monteiro Guimarães, irmão e Sebastião Lopes Neto, primo, que conviveram com Honestino, infelizmente, não puderam estar presentes. Maria Rosa não pôde mais ouvir as palavras do senhor Paulo Abrão, presidente da Comissão de Anistia, mas ali estavam seus netos, Juliana, filha de Honestino, Mateus e Gabriel, filhos de Norton, que homenagearam Honestino e Maria Rosa, na presença de antigos companheiros de luta, amigos e muitas pessoas interessadas na luta por memória, verdade e justiça que ora se desenvolve no país.